A indiscutível sabedoria de Bruce Lee

Não tem como falar de arte marcial sem pensar em Bruce Lee.

Dentre suas muitas qualidades profissionais, destacou-se como ator, diretor, produtor, dançarino (?!?), filósofo, e claro… um sensacional estudioso das artes marciais.

Seus conceitos revolucionários e constantes demonstrações de proezas físicas – marcas registradas deste artista – fizeram com que o ocidente criasse real interesse pelo maravilhoso e rico universo das artes marciais chinesas; um mundo enraizado na filosofia, busca do auto-conhecimento, envolto em mistério e misticismo, e – até então- proibido.

Em seus aforismos (que inclusive renderam um livro), temas como força e determinação – inspirações típicas dos bons atletas – sempre foram recorrentes.

Neste post de estréia, uma breve passagem sobre a frase que batiza o cabeçalho deste blog, sobre a eterna busca pela superação dos próprios limites:

Por Stirling Silliphant, aluno de Bruce, em prefácio do livro A Arte de Expressar o Corpo Humano.

Bruce fez com que eu chegasse aos 4,5 km por dia num bom ritmo. Corríamos os 4,5 km em 21 ou 22 min, ou 1,5 km em quase 8 min [Nota: quando corria sozinho em 1968, Lee baixava para 1,5 km em 6,5 min]. Então naquela manhã ele me disse: ‘Vamos correr 7,5 km’. Eu respondi: ‘Bruce, eu não consigo. Sou muito mais velho que você e não consigo chegar a 7,5 km’. Ele disse: ‘Quando chegarmos em 4,5, a gente muda de marcha, só vão faltar mais 3 km e você vai conseguir’. E eu respondi: ‘Ta, tudo bem, vou tentar, diabos!’. Chegamos então aos 4,5, entramos no quinto quilômetro e eu estava bem durante 3 ou 4 min, mas comecei ratear.
Estava cansado, com o coração disparado e não conseguia prosseguir, então disse a ele: ‘Bruce, se eu correr mais…’, e ainda estávamos correndo, ‘se eu correr mais, sou capaz de ter um enfarte e morrer’. Ele disse: ‘Então morra!’. Isso me deixou tão furioso que corri os 7,5 km. Depois da corrida fui para o chuveiro e, em seguida, queria conversar com ele sobre isso. Eu perguntei: ‘Por que você falou aquilo?’. E ele respondeu ‘Porque é melhor mesmo que você morra. É sério, se você sempre impuser limites ao que faz, fisicamente ou de qualquer outra maneira, isso vai se disseminar por todos os setores da sua vida. Vai atingir seu trabalho, sua moralidade, todo o seu ser. Não há limites. Há patamares, mas não podemos parar neles, precisamos ir além. Se morrer, morreu. Todo homem precisa se exceder constantemente.'”

Lee sempre foi um dos meus maiores ídolos, então citações a sua pessoa volta e meia aparecerão por aqui. Fiquem ligados. ;)

Anúncios

Deixe aqui seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s