Arquivo da tag: ufc

[ATUALIZADO] SHOOTO BRASIL #45 terá duelo (oficial) entre homem e mulher

TUF 18, Invicta FC, nova categoria no Ultimate Fighting, são apenas alguns exemplos da atenção que o MMA feminino tem recebido nos últimos tempos. Campeonatos de artes marciais envolvendo mulheres já não são considerados novidade, mas o reconhecimento merecido desta “divisão”, por assim dizer, está chegando de verdade agora.

Aproveitando este cenário para polemizar inovar, o Shooto Brasil anunciou que sua próxima edição Continuar lendo [ATUALIZADO] SHOOTO BRASIL #45 terá duelo (oficial) entre homem e mulher

Anúncios

Protetor Bucal: Qual sua REAL finalidade

Pugilista Oscar Valdez Fierro, do México, usa protetor bucal estilizadocom dentes de vampiro

Ao contrário do que se normalmente se pensa, a principal finalidade do protetor bucal não é proteger a boca (apesar deste ser obviamente um de seus objetivos).

O fato de serem colocados na boca torna natural aos leigos em boxe (e artes marciais em geral) pensar que sua finalidade é a proteção desta região (incluindo lábios, dentes e a mucosa). Para falar a  verdade, por muito tempo os boxeadores também tinham essa opinião. Foi só depois que alguns treinadores mais atentos observaram que um boxeador que perde com facilidade seu protetor também é um boxeador que é facilmente nocauteado é que essa opinião mudou. Continuar lendo Protetor Bucal: Qual sua REAL finalidade

XARM – Onde “Falcão – O Campeão dos Campeões” encontra o UFC

hart-goes-for-armbar-001
A capacidade do ser humano em chutar o balde, no que diz respeito a inventar moda”, é sempre impressionante. Não importa a área, o limite inventivo de certas pessoas parece não ter fim. Japoneses que o digam, certo? Nas artes marciais isso não poderia ser diferente.

Se você ama o MMA, vai adorar o XARM” – diz a propaganda.

Criada por Art Davie (co-fundador do UFC), o XARM (pronuncia-se “écs-arm”, não “cross-arm”) é um esporte híbrido que combina luta de braço (também conhecida como braço de ferro) com o MMA. O objetivo continua sendo o mesmo, ou seja, derrubar o punho do rival, e as mãos dos oponentes seguem atadas, como é de praxe em competições profissionais. A diferença é que, para superar o adversário, vale usar técnicas de outras modalidades. Socos? Chutes? Cotoveladas? Tudo liberado, com o objetivo de unir agressividade e estratégia. A diferença entre o MMA é que a mesinha de apoio dos braços segue entre os concorrentes.

O Xarm possui, inclusive, uma categoria feminina. As lutas são disputadas em três rounds de um minuto cada. Há categorias de peso (nove para homens e seis para mulheres).

Abaixo vocês podem conferir um video de uma das lutas da temporada de 2012. Se tiver interesse em conhecer um pouco mais sobre o “esporte”, segue o site oficial: http://xarm.com/?page_id=1710

Eventos de “MMA” no Brasil

Oi pessoal!

Hoje vou falar um pouco sobre estes eventos que estão na moda no mundo das lutas…

Quem costuma assistir os brasileiros (estreantes ou veteranos) no Ultimate Fighting Championship (UFC) pela TV, e não vai aos eventos menores (ou não os conhece) do Brasil, normalmente não entende o “caminho do calvário” que estes atletas percorrem antes de chegar lá.

Convidei o Professor de Lutas Luís Gustavo Lopes Penteado, também conhecido como TRETA , para responder as dúvidas mais frequentes à esse respeito. Um breve histórico deste “supercompetente” professor de MMA: Faixa Preta de Jiu-Jitsu, Muay Thai e Kung fu, já participou de varias competições das modalidades em que é formado, e lutou e participou da organização de vários eventos de MMA (Mixed Martial Arts) no Brasil. Atualmente é representante da Chute Boxe, equipe responsável por formar os maiores campeões mundiais de MMA. Entre eles: Cris Cyborg, Evangelista Cyborg, Nilson de Castro, Wanderlei Silva, Mauricio Shogun, Murilo Ninja, José Pelé Landy, Anderson Silva, Assuério Silva, Jean Silva, Luiz Azeredo, Daniel Acácio, e hoje possui 13 cinturões mundiais em eventos como: PRIDE FC, PRIDE GP, CAGE RAGE, PREDADOR FC, STORM SAMURAI, ELITEXC, STRIKEFORCE, entre outros.

Eu mesma já participei de um evento, que a exemplo de alguns dos mencionados acima, são menores, mas prestigiam o atleta. Foi na cidade de Juquiá-SP, “Fight Planet”, agora em outubro.  Fiz uma luta de Muay Thai e foi bem legal participar! Fotos do evento abaixo, e logo após, nossa entrevista…

Vamos à nossa entrevista:

Elite Marcial: Como surgiu, oficialmente, estes tipos de eventos de MMA no Brasil?

Treta: Antigamente, eventos parecidos com os de MMA de hoje, eram os “desafios” entre praticantes de artes marciais diferentes. A família Gracie foi a grande precursora desses “desafios”, com o intuito de provar a eficiência do Jiu-Jitsu sobre as outras Artes Marciais. Por questões políticas, começaram a ter proibições alegando violência e ilegalidade. Dado isto, foi criado o Mixed Martial Arts, com regras, federações, para que tornassem esses desafios “legais e oficiais”.

Elite Marcial: Existe hoje uma federação ou entidade à qual esses eventos respondem?

Treta: Existem várias federações e “Ligas” de MMA no Brasil hoje em dia -como por exemplo C.B.MMA (Confederação Brasileira de Mixed Martial Arts)- que organizam eventos, porém a grande maioria são organizados por academias e empresários que investem na modalidade.

Elite Marcial: Como funcionam esses eventos? Quem organiza, quem ajuda, são todos legalizados?

Treta: A grande maioria é assim: um empresário monta um evento, contrata um responsável para fazer o “Card”, que seleciona academias e atletas, faz acordos com patrocinadores que pagam as “bolsas” [valor que o participante recebe para poder lutar] dos atletas e as “cotas” [gastos gerais] do evento.

Elite Marcial: Quais os principais no Brasil?

Treta: Jungle Fight,  Show Fight -inclusive já participei algumas vezes da organização deste evento-, Storm Samurai, Shooto Brasil, Predador…

Elite Marcial: Como é oficializado o quadro de vitórias do atleta?

Treta: É o “Card” pessoal do atleta que conta. Para grandes eventos, a luta é postada no site Sherdog, onde é computado o número de vitórias do lutador. Por exemplo: para entrar no “UFC”, o lutador tem que ter pelo menos 3 Vitórias no Sherdog. Mas para eventos menores, são os professores das academias que computam o ranking pessoal do lutador.

Elite Marcial: Como o atleta pode realmente ganhar dinheiro nessa área? Ou é como o Futebol? Todo mundo gosta, tem um monte de praticantes, mas somente poucos ganham realmente bem…

Treta: É isso mesmo! Na verdade só quem luta em grandes eventos é que ganha bem. A maioria dos eventos paga pouco. O atleta tem que ralar muito para poder viver só disso. Os que topam participar desses eventos – a maioria não vai pelo dinheiro – acabam lutando por vários motivos: divulgar a equipe, status pessoal, porque gostam…

Elite Marcial: Na sua opinião, qual o futuro dessa modalidade no Brasil?

Treta: Acredito que o futuro já é o presente. Revolucionou! É o esporte que mais cresce no mundo e, o Brasil é o berço, pois começou com os desafios da família Gracie… E a tendência é crescer cada vez mais!

Bom gente, é isso aí! Essa foi nossa entrevista com este grande professor! Espero que tenham gostado.

O Jiu-Jitsu

Se você está sendo dominado pelo seu oponente, caia no chão, porque isso irá fazê-lo pensar que você está realmente dominado. Esta é a melhor posição para uma técnica de Jiu-Jitsu brasileiro conhecido como protetor.

Olá pessoal! Hoje vou falar um pouco sobre esta arte marcial tão admirada em nosso país! A mesma utiliza como principais técnicas: golpes de alavancas, torções e pressões para derrubar e dominar um oponente.

“No jiu-jitsu tudo pode acontecer, e por isso ele é um dos esportes mais intrigantes que existem. Essa é uma das poucas lutas onde os mais fracos têm possibilidade de derrotar os mais fortes, bastando para tal, aplicar a técnica e o golpe correto.”

Breve história do jiu-jitsu

Segundo alguns historiadores o Jiu-jitsu – ou “arte suave” – nasceu na Índia, e era praticado por monges budistas que  desenvolveram uma técnica baseada nos princípios do equilíbrio, do sistema de articulação do corpo, e das alavancas, evitando o uso da força bruta e de armas. Com a expansão do budismo, o jiu-jitsu percorreu o Sudeste asiático, a China e, finalmente, chegou ao Japão, onde desenvolveu-se e popularizou-se.

A partir do final do século XIX, alguns mestres de jiu-jitsu migraram do Japão para outros Continentes, vivendo somente dessa arte marcial. Esai Maeda Koma, conhecido como Conde Koma, foi um deles. Após viajar com sua trupe lutando em vários países da Europa e das Américas, chegou ao Brasil em 1915 e se fixou em Belém do Pará. No ano seguinte conheceu Gastão Gracie. Pai de oito filhos, cinco homens e três mulheres, Gastão tornou-se um entusiasta do jiu-jitsu e levou o mais velho, Carlos, para aprender a luta. Franzino por natureza, aos 15 anos, Carlos Gracie encontrou no jiu-jitsu um meio de realização pessoal. Aos 19, se transferiu para o Rio de Janeiro com a família e adotou a profissão de lutador e professor dessa arte marcial. Viajou para Belo Horizonte e depois para São Paulo, ministrando aulas e vencendo adversários bem mais fortes fisicamente. Em 1925, voltou ao Rio e abriu a primeira Academia Gracie de Jiu-Jitsu. Convidou seus irmãos Oswaldo e Gastão para assessorá-lo e assumiu a criação dos menores George, com 14 anos, e Hélio,com 12. Desde então, Carlos passou a transmitir seus conhecimentos aos irmãos, adequando e aperfeiçoando a técnica à compleição física franzina característica de sua família.

No jiu-jitsu tudo pode acontecer, e por isso ele é um dos esportes mais intrigantes que existem. Essa é uma das poucas lutas onde os mais fracos têm possibilidade de derrotar os mais fortes, bastando para tal, aplicar a técnica e o golpe correto.

Enfrentando adversários 20, 30 quilos mais pesados, os Gracie logo adquiriram fama e notoriedade nacional.
Ao modificar as regras internacionais do jiu-jitsu japonês nas lutas que ele e os irmãos realizavam, Carlos Gracie iniciou o primeiro caso de mudança de nacionalidade de uma luta, ou esporte, na história esportiva mundial. Anos depois, a arte marcial japonesa passou a ser denominada de jiu-jitsu brasileiro, sendo exportada para o mundo todo, inclusive para o Japão.

Alguns Golpes e Movimentos Tradicionais de Jiu Jitsu

Projeção/queda: É qualquer forma de fazer com que o adversário se desequilibre e caia no chão, tanto de costas como de lado.

Baiana: Acontece quando um dos atletas agarra o outro pelas pernas fazendo com que ele saia do chão

Passagem de guarda: É o movimento quando um dos atletas fica por cima do outro, estando entre as pernas do adversário preso ou não. Quando o atleta está apenas em cima de umas das pernas do seu adversário é considerada uma “meia guarda”. A passagem de guarda só é propriamente dita quando o atleta deixa o seu adversário sem nenhum espaço, sendo dominante e deixando o adversário de costas ou de lado para o chão.

Pegada pelas costas: É o ato em que o atleta pega seu adversário pelas costas, fazendo com seus calcanhares fiquem apoiados nas coxas do adversário.

Joelho na barriga: Acontece quando o atleta está com meia guarda e solto, fazendo com seu joelho fique por cima da barriga do seu adversário.

Montada: A montada e realizada quando o atleta está montado em seu adversário, fazendo com que seus pés e joelhos fiquem totalmente presos no chão.

Raspagem: A Raspagem ocorre quando o atleta está por baixo de seu adversário, consegue fazer com que ele fique preso entre as pernas e com muita rapidez o desequilibra para o lado fazendo com que a posição fique totalmente invertida.

Sistema de faixas e idades correspondentesI . BRANCA – Iniciante, qualquer idadeII. CINZA – 04 a 15 anos

III. AMARELA – 07 a 15 anos

IV. LARANJA – 10 a 15 anos

V. VERDE – 13 a 15 anos

VI. AZUL – 16 anos ou mais

VII. ROXA – 16 anos ou mais

VIII. MARROM – 18 anos ou mais

IX. PRETA – 19 anos ou mais

X. VERMELHA E  PRETA

XI. VERMELHA